domingo, 13 de setembro de 2009

... e a vida continua




Em um belo dia, você se deparou no meio de inúmeros por instinto natural caminhando, correndo, disputando para conseguir ser visto de outra forma, até que vence essa competição da vida.
É uma vitória perceber que mesmo sem ter noção do que estava acontecendo, daqui nove meses você iria ver o mundo de forma clara e diferente.

Os dias foram passando, você foi sendo cada vez mais mimado por todos, mais bem vindo na vida daqueles que te amavam e ainda te amam, contendo apoio, carinho, educação, sabedoria.

Os dias foram passando até chegar o primeiro aninho de vida.
Fotos e mais fotos guardando aquele momento, cada hora no colo de uma pessoa.
Gestos e manias sendo observados por aqueles que estavam curtindo tudo isso alegremente.
Os anos continuaram a se passarem, até que veio a época de escola, veio os ciúmes pelas professoras.
Festinhas e festinhas de aniversários até que vieram os sete anos de vida, pequena chateação da vida considerada grave para aquela criança inocente, sentiu a falta dos padrinhos que na verdade nunca compareceram.
Pelo lado do humor, foi o “primeiro” porre da vida, por tomar inocentemente uma deliciosa batida de pêssego pensando não dar efeito e ser apenas como um iogurte.
Os anos foram se passando, vieram as curiosidades, as paquerinhas, o primeiro amor, a primeira decepção, o primeiro trabalho e assim caminhando.
Mas quem vem em formatos de flashs tudo o que se passou desde criança até aqui, é fato!

Hoje, depois de 27 anos, me lembro das coisas que foram me acontecendo nesse tempo todo e sinto muito por muita coisa que poderia ter sido diferente, mas aprendo cada vez mais que nunca é tarde para nada!

Amar, chorar, sofrer, trabalhar, estudar, dentre tantas outras coisas fazem parte da vida de cada um, só que de formas diferentes.
Somos sementes de uma noite de amor e que devem ser trilhadas nessa estrada de inúmeros atalhos e trechos, mas que em algum momento terá fim e de encontro com uma rua certa sem qualquer tipo de desvio.

Eu agradeço muito por ser como sou e por ter tido a educação que tive, pois, eu sei que posso muito mais e é agora ou nunca!

A todos que estão comigo até hoje independente da forma e maneira, eu agradeço por permanecerem.
Afinal, se permanecem é porque é verdadeiro, certo?

27 anos de vida, isso me assusta!
Fiz um “replay” de tudo o que vivi até aqui.
MAs já com um "traller" do que está por vir, só para ter uma ideia.


(Sabrina Receputi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário