sábado, 4 de julho de 2009

Pé na estrada.




Pegar uma estrada e partir sem direção, transforma um pequeno passeio em algo mais apimentado e saudável.

É bom passar por caminhos não percorridos em seu dia-a-dia.

Sinto como uma libertação pegar a minha mala e partir, mesmo sendo para um local perto, sem correntes para me segurar.

Lanchar na estrada em uma lanchonete qualquer, olhar para o lado e ver rostos jamais vistos por ai.

Observar outras cidades, manias, barulhos.

Isso, claro que se resulta em uma saudade enorme de minha cidade depois, de todos que ao meu lado estão.

Para quem tem um dia-a-dia estressante, nada como viajar nas férias, colocar os pés na estrada.
Pode ser para o Japão como para BH ou São joão.

Tudo na vida passa e faz parte, nada é por acaso.

Observe dentro de você e veja se estou errada.
Viaje mais, sorria mais, sincero sempre...

(Sabrina Receputi)

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Sinto, observo... (Reflexão)



O que te faz pensar em mim?
O que te leva a dizer que eu sou o teu sol?
Noite de chuva, muita água caindo lá fora e eu aqui, pensando no que me faz sorrir.

Dia triste e cinzento.
Noite fria sem uma temperatura boa para me aquecer.
Desejo um abraço agora caloroso.
Um sorriso gostoso e um olhar cuidadoso.

Sei por onde anda esse conjunto, esse quebra-cabeça.
Devo falar?
Devo apontar?
Não!

Sei que essa pessoa no fundo sabe que ando com desejos e pensamentos de um amanhã, com ela.
Sou assim, pessoa carnal e real.
Sou a moda antiga que ama sem pedir socorro nem licença.

Muito frio neste quarto.
Ligarei a lareira já que você não está aqui.
Aos poucos estou me sentindo sua.
Por onde anda agora?
Eu sei exatamente onde você.
Sorria ao me ver passar, eu te sinto, observo.

(Reflexão: Sabrina Receputi)

O poder da saudade...



Estar diariamente ao lado de uma pessoa que proporciona o bem em todas as partes, é algo muito bom, prazeroso.
Mas, se deparar com certa distancia, perceber que ao olhar para o lado não verá mais aquela pessoa, é algo muito ruim!
Seja por qual for o motivo.
Quem inventou a saudade sabia o que realmente seria isso?

Pois então...

Os anos passam e com isso, o vento carrega muitos acontecimentos e no meio disso tudo, imagens de pessoas que passaram por nossas vidas em meio a uma tempestade, como um raio, vem em nossas mentes. Outras permaneceram anos e anos em nossa vida, mas se foram.
É como uma meta a ser seguida e depois de cumprida, só resta partir.
Sei que em algum lugar, alguém pensa em mim, lembra de mim, sente a minha falta, comenta de mim, tudo por simples rastros de saudades de algum momento ao meu lado.
“Nada como um dia após o outro”, carrego essa mensagem junto comigo sempre!
Saudade, palavra triste... Mas, que vem para trazer o em quando você sabe que irá matar essa saudade a qualquer hora.
E quando não se pode matar essa saudade?
É nesse ponto que digo:
Eita sentimento estranho, doloroso!
Mas, que faz parte de nossas vidas.
Se entregar a um grande amor e depois ter de presente a saudade do que foi vivido, nem é ruim, mas saber que sentira essa saudade sempre é o fim do mundo!

O lance é ser paciente, deixar a vida rolar.
Viver com amor é o mais importante e sempre olhando para o lado e vendo quem realmente esta do seu lado agora.
Aproveite para não viver depois só de saudades do que viveu e poderia ter vivido.

Viver de saudades não nos levará a nada.
Claro que tem a saudade boa, é muito bom!
Mas, aquela saudade que nos trás a tristeza, eu não acho legal.

Lembrar sim, faz parte “às vezes”.

Voar com os pés no chão é bem mais interessante!

(Sabrina Receputi)

domingo, 28 de junho de 2009

Hum... "Mulher Fatal"?





O que seria uma "Mulher Fatal"?

Bom, veja bem:
Em meu modo de pensar, tenho o meu conceito sobre uma verdadeira "Mulher Fatal".

Tem um dom de desvendar mistérios.
Tem um charme incomparável ao desejar.
Possui beijo tentador.
Tem um olhar que prende como uma teia de aranha.
Faz dessa sedução, um jogo onde alguém pode se queimar.
Ao sorrir, joga o seu veneno.
Em seu dia-a-dia, vive uma vida normal, mas com um ar sedutor.
Encanta ao olhar a sua "presa".
Sob o corpo esguio, um salto altíssimo.
Discreta, rouca.
Murmura poucas palavras ao ser tocada.
Olha nos olhos profundamente, expondo o seu querer.
Usa suas táticas que por mais simples que sejam, se tornam inesquecíveis.
Possui um ar sedutor e um delicioso charme.
É madura e firme.
Possui um conteúdo e cartas nas mangas.

Existem vários itens para ser uma "Mulher Fatal", desde que esta, seja inteligente.

Agora estou aqui pensando mais ainda sobre isso...
Será que eu me encaixaria neste conceito?

Disso, só eu sei! (hehe)

Que perigo! 

(Sabrina Receputi)

Sinta-se ao dançar.



Quando se dança com prazer, é como se estivesse flutuando, os problemas desaparecem, o espírito se renova.
Derrete qualquer clima ruim dentro de você e elimina os fluidos negativos.
Tudo parece desaparecer do seu redor e somente você ali ouvindo cada detalhe das batidas.
Há explicações ao chegar a um local com musicas dançantes onde a nossa alma parece sair do nosso corpo e simplesmente dançar?
É algo que eu admiro, pois uma bela musica encanta o momento, faz tudo ser bom e agradável!
Sorrisos sorriam com um ar de liberdade e energia boa.
Celebrar uma boa saída e dançar uma boa música dá mesmo uma sensação de liberdade tamanha.
Só para quem não gosta que nem vale a pena sair para isso.
Pois acaba atrapalhando quem realmente curte.
Brindar a felicidade com luzes piscando é delicioso.
Clima de sensualidade rola suavemente.
Alivia a alma e combate o stress, se torna terapêutico em meu modo de pensar.
Eu de fato, piso em um local com musicas de meu agrado, me torno capaz de ser quem eu quiser e isso é maravilhoso.
Encontro um bem estar que posso até me sentir se eu quiser uma pop star.

(Sabrina Receputi)