sexta-feira, 16 de outubro de 2009

"Morte" dói, mas é superável.

Morte, palavra forte que desanda qualquer coração desde que a perda seja de um alguém especial.

Por mais que todos nós do planeta Terra, esperamos por esse momento mesmo sem querer que ele chegue, quando vem à tona, dói, machuca e deixa sem ar qualquer cidadão que tem no mínimo "compaixão".

Lágrimas escorrem sem rumo, soluços se tornam fortes demais para serem abafados.
É muito triste olhar ao redor e perceber que uma pessoa especial se foi e só “Deus” sabe para onde.

Para nós que ficamos o que nos restam?

Saudades, a falta, a dor, as lágrimas, o desespero, a angustia... Realmente é inexplicável o tamanho do medo que bate nesse momento e toma conta.
Lembranças do tempo bom começam a rodar na mente como um filme antigo. Imagens dos sorrisos, das festas, da alegria harmoniosa e calorosa.

É muito importante um apoio, um abraço sincero.

Qualquer troca de palavra sai acompanhada de uma gota dessa lágrima sofrida, desse amor cortado por seja lá qual for o motivo.
Uns por doença, outro por ser “velho” e não mais conseguir pertencer a esse nosso mundo, assassinato.
Morte é morte e é simplesmente o fim de uma história, de uma família que até então era completa.

A força e a fé passam a fazer parte dos dias que estarão por vir e basta alimentar os segundos de esperanças.
Superar uma perda não é tão complicado assim, mas não é de uma hora para a outra.

Aos poucos a tristeza se torna uma lembrança sadia e o ruim se torna abafado e “esquecido”, mesmo que não seja esquecido de verdade, mas se torna superável.

Vamos ter força e aproveitar cada um que é bem vindo em nossas vidas de coração.
Não vamos esquecer que o hoje de fato é muito importante e amar é muito saudável e melhor ainda estando todos em vida.

Já diz o ditado:

Para morrer, basta estar vivo!

Gostava Tanto de Você
Tim Maia
Composição: Édson Trindade


Não sei porque você se foi
Quantas saudades eu senti
E de tristezas vou viver
E aquele adeus não pude dar...

Você marcou na minha vida
Viveu, morreu
Na minha história
Chego a ter medo do futuro
E da solidão
Que em minha porta bate...

E eu!
Gostava tanto de você
Gostava tanto de você...

Eu corro, fujo desta sombra
Em sonho vejo este passado
E na parede do meu quarto
Ainda está o seu retrato
Não quero ver prá não lembrar
Pensei até em me mudar
Lugar qualquer que não exista
O pensamento em você...

E eu!
Gostava tanto de você...




(Sabrina Receputi)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

“Nossa cidade” Juiz de Fora





Veja bem:

Cidade que tem uma história interessante e um conceito de cidade pacata além de fria e sombria.

Contém cerca de 500 a 600 mil habitantes.

Sua localização é privilegiada, estando próximo da capital Belo Horizonte (270 km) e do Rio de Janeiro (180 km) e a (480) km da cidade de São Paulo.

Juiz de Fora já foi chamado de “Manchester Mineira” e chegou a ser considerada a cidade mais importante de MG, por causa do crescimento industrial.

Juiz de Fora contém lugares legais para visitar, contém o Teatro Central, conhecido como o coração da cidade.
Contém artes feitas em prédios antigos e que ainda são boas de serem lembradas.

Adoro conversar com pessoas idosas que viveram e sentiram de perto a evolução desta cidade em que nasci e vivo até hoje, pelo menos por enquanto.
Afinal, não sabemos o dia de amanhã, correto?
Ouço casos que mostram como Juiz de Fora era muito mais calma do que hoje.
Tenho a consciência sobre essas mudanças contínuas, mesmo não vivenciando elas.
Muitos reclamam do aumento da população, da qualidade de vida que deu uma piorada.
Claro que é muita coisa envolvida para tanta diferença e a evolução se não for feita, não se torna bom para os que vivem nesta cidade.

Muitos já elogiam tudo isso.

Eu particularmente, olhando fotos passadas, sinto como o ar era mais puro, o silêncio era maior e a calmaria de poder andar pelas calçadas era mais divertida.
Se eu pudesse definir um padrão de vida em Juiz de Fora, escolheria ter a chance de viver naquela época.

A Av. Rio Branco por exemplo era uma paz e hoje é esse tumulto só.
O povo vive na correria, estressado.
Palavrão não era como hoje, a falta de educação era relíquia de tão raro encontrar.

Em alguns anos atrás, pelo o que escuto era bem mais harmonioso tudo e todos.

Continuarei ouvindo casos e sentindo um pouco do que meus parentes e amigos no passado viveram.
Acho muito bom percebermos isso e valorizar a nossa cidade.
Juiz de Fora anda precisando de cuidados, já que está crescendo tanto.
É bom de viver aqui, ainda está melhor que muitas cidades deste nosso Brasil.

Sinta a diferença!

Logo abaixo, fotos.














(Sabrina Receputi)

Ciúmes




Veja bem:

Quer atrapalhar uma relação boa é deixar o ciúme corroer cada fiápo da felicidade.
É deixar tomar conta e expelir o que há de agradável.

Você concorda que o ciúme só serve para estragar e colocar "caraminholas" na cabeça dos outros?

Faz falar coisas vazias e sem nexos, faz agir por impulso, faz se passar como "babaca" e machuca o próximo sem um pingo de razão para isso.

Claro que estou me referindo ao ciuminho bobo, sem motivo. Caso tenha motivos, óbvio que com cautela deve ser conversado e exposto o problema, num é mesmo?

Me refiro ao imaginário que só serve para atrapalhar tudo!

Em minha opinião, a pessoa cria uma desconfiança sem porque, uma insegurança idiota.

O que de bom se espera disso?

Chorar depois do leite derramado é complicado.

Depois do "barraco" básico por ciúmes, a sua imagem apenas se torna a de um ser "paranóico", dramático, possessivo, dentre outros.

Ou seja:


Queimação de filme total e se torna fatal!
Fala sério!
Seja fiel, seja uma pessoa generosa que verá como que o respeito se torna amigo em ambas as partes.
Quer coisa melhor?
Basta conversar em qualquer caso de dúvidas com o próximo, que acredito ser mais tranquilo, mais adulto.
Faça por onde a razão ser sua sempre!
Uma boa postura interior e exterior inibe a bobageme evita tempestade.
Não se sinta provocado por um alguém, pois penso que isso é só uma forma da outra pessoa se sentir superior, mas que na verdade não é nada e nem será agindo assim.

As cartas estarão sempre na mesa, mas saiba jogar!


A sua imagem está em jogo e com isso se descabelar por alguém é simplesmente ridículo.
A paz interior deve fazer moradia para todo o sempre, mesmo em caso extremo.
Não sou perfeita não, mas ando pensando da seguinte forma:
Ando tacando para o "foda-se" mesmo gostando, pois se estou com alguém e esse alguém está comigo por exemplo, essa pessoa está por que quer, correto?
Em caso de traição, quem estará sendo traído?
Então para que irei alimentar o ruim?
Só quero dizer que há bem mais com o que se preocupar e confie.
Será mais gratificante!


(Sabrina Receputi)