segunda-feira, 22 de março de 2010

O apego de se apegar



Em uma aproximação, seja com uma pessoa ou até mesmo um animal, surge um carinho espontâneo, um sorriso saudável, levando ao apego de coração.
Se apegar a um ser, não é como se apegar a um bem material. Óbvio que não!
Na perda, o mundo parece desabar, mas é de se entender, é de se acostumar.
O próximo se torna um membro, se torna o seu companheiro desde que seja recíproco, desde que seja bom.
O carinho feito com carinho, com vontade e atenção é algo tão bom.
Claro que o medo da perda existe, mas se é de ambas as partes o lado positivo da coisa, para que ter medo?
É feliz o dia-a-dia dessas pessoas que sabem curtir o bom da vida.
Nada como enfrentar as pedrinhas com cautela e montar um castelo com muita calma e firmeza, e nada de ser com essas pedrinhas que vão surgindo no caminho, é com o querer somente.

(Sabrina Receputi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário