domingo, 20 de junho de 2010

Só não vale ter falta!




Olhar nos olhos e sentir um frio ardendo de vontade de estar cada vez mais perto é literalmente um perigo!
Perigo que só se tem perigo se deixar isso tomar conta do espaço que até então está fechado.
Fechado não por querer e sim por não ser um momento propício ou atitude certa. Em um jogo, todos em campo só entram com a intenção de ganhar e não jogar para ganhar seria covardia.
Então, o melhor é ficar na sala de estar esperando a hora do chamado e agir de verdade se tiver que agir, com cautela, com desejo e sinceridade.

Sem essa de aflição!

Dá mesmo um nervoso muita coisa que a gente vê por esse mundo a fora, mas de que adiantaria denunciar essa coragem?
Muitos pagam para ver nessa vida por muitas coisas e esquecem talvez que em cada ser existe um coração que bate tranqüilo, mas que em algum momento ele pode bater muito mais forte, incapaz de ser desacelerado e derrubando fronteiras para ser vivido.

Aí eu penso, como seria?

É não sei não!

Atração, desejo, palavras que podem se tornar envolventes mais e mais... Complicado não?

Não se tem explicação para quando dois corpos contêm a tática da vontade em campo.

Nesse campo só restam àqueles dispostos por ganhar o jogo que até então o juiz apitou dando o início da partida há muito tempo...

Só não vale ter falta!

(Sabrina Receputi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário