sexta-feira, 23 de julho de 2010

"the end"



Porque que surgem dias estranhos onde faz parecer tudo tão sem sentido?
O pior de tudo é que os pensamentos vagam procurando um motivo e não encontra nada ou encontra?
O bom é ter a certeza que as pernas continuam seguindo, num é mesmo?
Ops! Quantas interrogações, para que tudo isso? Melhor evitar essas interrogações antes que seja tarde demais. Já nem importa, já foi!
Esse lado temperamental da coisa da certo nervoso, mas é de se entender o que esta no intimo de um querer seja ele qual for ou como for.
Tiro como exemplo o nosso céu que hora sorri e outra chora, basta ele ter vontade de chover. Uma lagrima fez questão de escorrer, mas logo se secou.
Entender esse querer não é nada fácil, pois ele pode não falar a mesma língua. Captar um sinal é pior ainda, ele pode ser imaginário. Decifrar um sorriso nem sempre tem um significado de felicidade e sim de vontade de falar algo, mas que falta a coragem de dizer.
Lembrar do que se foi nem é pecado e pode ser que ainda tenha uma continuidade, serve até como estimulo para o melhor.
Sacar que começou um jogo é estar ligado nos jogadores.
Sinto que uma voz tamanha quer gritar e ouço que existe um alerta onde se entregar sem medo hoje em dia esta cada vez mais rara.
Às vezes escrevo aqui o que meus dedos querem digitar, mas nada é por acaso e o tempo mostra que "tempo" não existe e sim caminha junto com os dias que se vão. Observar cada palavra, gesto, faz de uma mudança muito mais notória.
Dói perceber que algo se perdeu e se ainda não se perdeu é grande a porcentagem disso acontecer. Viver um momento seja de anos ou ate mesmo de "um mês" não deixa de plantar um tipo de sentimento e com isso surge a vontade de um abraço.
"Deve fazer parte..." é o que logo aflora no meu interior. Em algum lugar deve existir uma "porta onde um dos dois vai ter que abrir" assim já conta na musica cantada por Fabio Junior "Sem Limites Pra Sonhar". Claro que tem que ter o famoso querer...
Então, enquanto isso tudo caminha sim, só que na contramão. Pode não haver respostas concretas agora para algo, mas esse famoso "tempo" tragara tudo o que for necessário e para quem observa, só falta uma certeza.

Penso que uma bala ao ser degustada com vontade, deixa melado toda a boca e depois que se acaba fica somente o gosto do mel e vem à secura dando a sede com um desejo enorme de se refrescar com apenas um copo d’água e assim lavando tudo. Assim, se faz com a cabeça.

Nada como um dia apos o outro e mais uma vez direi: atenção é tudo!

E ser real é muito mais interessante...



video


"the end".



(Sabrina Receputi)

2 comentários:

  1. Em alguns casos o final é o melhor caminho, mais cedo ou mais tarde a gente percebe isso... dias melhores estão sempre por vir!
    Gostei da comparação da bala com a nossa mente.

    bjos!

    ResponderExcluir
  2. Claro que faz parte um final, sempre! O melhor de tudo é quando é para o bem,rs
    BEijo, moça.

    ResponderExcluir