quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Assim se segue, em um desabafo sem fim!

Com os pés descalços, as marcas vão sendo cravadas no peito de quem ama, ate a areia sente cada momento, como palavras ditas que certamente não voltam mais.
Na grama, uma ventania embala uma tempestade que já vem chegando, os trilhos deslizam bem o peso que por eles passam meio que desgovernados.
Pessoas vazias preenchem o planeta e o frasco também esta por um fio, com uma única gota a exalar todo esse perfume. Odor que arde o cheiro de quem sente, é muita poluição mental. Políticos, Ladrões, Marginais por toda parte, se protejam!
Rios que cortam o coração deságuam na escuridão de um infinito que ninguém sabe qual é. Asfaltos gastos e os sapatos nem suportam mais andar sobre essa sujeira, estão mais gastos ainda!
Arvores de verdes estão negras por tamanho fogaréu.
Dinheiros em cofres desconhecidos e coitado daquele que leva a vida com ganância.
Felicidade blefando o sorriso dos que nem conhecem o amor.
Fácil demais atingir o patamar em plena "putaria", difícil ser visto com bons olhos ou ate mesmo permanecer no glamour da ilusão de ser grande.
Um dia a casa cai e que sobrevivam os bons, porque de espertos o mundo esta farto. Nunca se sabe quem é o vilão ou o mocinho e não sou eu quem vai dizer.
Cada um que faça a sua parte e que os superiores honestos, fiquem ligados! Na vida é importante ter conhecimento e ser sábio. Esses dois conceitos não caminham bem separados.

Assim se segue, em um desabafo sem fim!

(Sabrina Receputi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário