terça-feira, 21 de setembro de 2010

Baú de um HD pessoal



Futricando em arquivos, uma imagem real se revelou e é notável a pele macia feito um pêssego aveludado.
Traços são gravados em flashs em sigilo absoluto.
Os olhos brilham feito as estrelas no céu da boca que com lábios carnudos, sorri sem parar com o sorriso mais gostoso do mundo!
Dentes brancos feitos nuvens de algodão transmitem a paz e a pureza de uma água cristalina.
Fotografias recortadas, outras em preto e branco, envelhecidas talvez, mas cada uma com um potencial e um brilho nada comum.
Em cores tudo vira um arco-íris na minha mente e a sensualidade fica arquivada nos flashs que iluminam toda essa beleza que mais parece um anjo.
Pôses revelam uma suavidade inigualável.
Sim, um lindo esboço passeia nos pensamentos de quem admira esse momento e sente nos póros um arrepio profundo.
Suas qualidades não escondem o seu glamour que se encaixa no horizonte dos meus sonhos.
O toque parece uma pétala a se soltar dançando assim no vento.
Luzes destacam um rosto marcante e com os olhos de bolas, olham para mim através de uma simples fotografia.
Não importa o formato, mas essa imagem não se cansa de me assaltar e não importa como ela me revela e me entrego cada vez mais nesse filme que passa quando chega à saudade.



Essas imagens se juntam e não se apagam do baú que minha mente fez só para guardar essas fotografias que só os meus olhos fotografaram e fotografam, arquivando todas
em uma pasta secreta em meu HD pessoal.


(Sabrina Receputi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário