sábado, 23 de outubro de 2010

Mar de rosas...



Nem tudo é um mar de rosas...

Isso seria apenas uma frase qualquer ou é realmente assim que a vida segue?

Óbvio que não é um mar de rosas!
Claro que não é um mar de rosas!
É natural que não seja um mar de rosas para todo o sempre!

Sinto que não é...
Mas pode vir a ser.

Compreensão, diálogo, cumplicidade, maturidade, certeza do que sente, paz interior, inteligência, são conteúdos de flores que de tão suaves, recebem com naturalidade uma tempestade que vem para só assustar e logo em seguida fortalece o seu potencial, com postura e classe.
Às vezes, o imaginário se torna um “teatrinho” onde se pode inventar a cena que quiser, pode falar o que quiser, pode entender uma interpretação da maneira que achar interessante ser na realidade, mas nem tudo pode ser assim como se essa realidade estivesse por aí, solta pelo ar sem uma raíz, passeando por entre as nuvens, invadindo quem sabe Norte e Sul pelo avesso.
Respirar, pensar em palavras que serão atiradas é o melhor que há e faz da sintonia firme e forte.
Claro que está no meio de nós a capacidade de errarmos e aprendermos.

É gostoso questionar o coração e descobrir que ele tem seus segredos e que quando resolve bater mais forte por amor, é sincero.
No meio de um tiroteio, ele se desespera e se declara mais e mais...

Seguir sorrindo e cantando, observando e aprendendo com cada amanhecer, faz parte de cada segundo que só se passa nós.

(Sabrina Receputi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário