sábado, 3 de julho de 2010

Bastou o passar da meia-noite



No som de uma castanhola eu me acalmo a passear nos acordes de uma voz que com delicadeza me rapta aos poucos.
Eu não me encontro aqui, sei que estou em você.
Sinto cada nota, me derramo em seu corpo.
Com um chapéu prateado eu percorro pelas matas sombrias e no vento que me toca, eu rabisco uma imagem filmada pela câmera dos meus olhos.
Miragem? Sei que não! É bonito de se ver.
Jeito curioso, toque misterioso... Eu te sinto.
Pelas terras desse chão eu caminho sem medo e sem pressa.
No ápice do cometa que passou por aqui, eu me encontro a sonhar com você mais uma vez.
Uma simples viola me desperta cifras em formas de canções.
Na procura de um amor, me aparece você que só a minha mente sabe.
Na primeira parada, em meu cartão postal eu escrevo o seu nome de trás para frente, por ser um segredo meu.
Bastou o passar da meia-noite que algo mudou, trazendo-me afirmações e nada de dúvidas.

Onde vai dar é questão de viver.

Tomo um “gole” para esquentar essa saudade de um beijo seu que ainda sinto o gosto fresco de algumas horas atrás.

(Sabrina Receputi)

Existira sempre um início...




No mural da minha memória, retratos de um dia feliz se destaca.
Dia em que uma simples cavalgada me levei a passear pelas trilhas da tranqüilidade e do meu imaginário.
Não tem coisa melhor!
Sonhando se segue e com um ideal, mas com o meu imaginário eu posso tudo.
Me de licença?
É bom brincar no trampolim, é aventureiro derrapar na curva, é maneiro descer no escorregado e girar na roda gigante.
No sinal vermelho, eu não paro! Apenas medito.
No sinal verde, eu nem sigo! Eu prossigo.
E o amarelo? Esse é questão de sacar o que está por vir.
Os sinais se revelam entre si e no meio de tantos carros eu me perco nos faróis e pelo retrovisor eu vejo tudo o que passou.
A ventania que levantou toda aquela poeira nem assopra mais.
A tempestade que assustou aquela menininha e derrubou a sua casa da arvore onde brincava de ser feliz, nem passou mais por aqui.

Sinal que tudo passa e existira sempre um início!

(Sabrina Receputi)

Sentir...




Sabe quando uma loucura com uma pitada de aventura toma conta de todo o organismo levando ao impulso a vontade de agir?

Assim é a saudade quando fica em alta, feito um mar em ressaca dentro de nós.
O fato de estar certo ou não, não importa!
O legal é sentir que é recíproco.
O gostoso é sentir a vibração do prazer queimando feito uma brasa, lentamente e bem forte.
Flutuar de emoção em busca da felicidade é ter a coragem de sentir esse sentimento. Jeito macio de conquistar, único!
Risos que envolvem, abraços que prendem.
Desejos que explodem em algodão doce de tão delicado que é.
Estar ao lado por um instante faz das noites e dos dias uma ansiedade em querer apreciar essa dádiva, desenhar essa sintonia com lápis de cera colorida, brincar no parque da paixão, entrar no cinema do amor e brindar essa vontade de permanecer.

Sentir é questão de se entregar com muito carinho, atenção e lógica.


(Sabrina Receputi)

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Mais que uma simples Estrela Cadente...




Um furacão passou por mim deixando essa fome de um abraço.
Veja bem: do "seu" abraço!
Sinto uma sede tremenda dos seus beijos em minha boca acompanhado de um leve calafrio. Hum, sinto tudo tão perto de mim!
Necessito ver você com esses olhos invadindo a minha alma, a minha calma, explodindo tudo. É desejo, é paixão... Não tem um por que!
Tudo se torna uma atração muito forte e com um encanto delicado e estrondoso.
Pele macia, sorriso gostoso, palavras que me deixam extasiada.
É, era para ser, tinha que acontecer, porque sinto que poderia não ter acontecido, mas aconteceu.
Confuso, né? Mas é tão tranqüilo.
Se resume em uma saudade de algo que nem foi vivido ainda... sei que será!
A quilômetros daqui mora uma Estrela.
Estrela que poderia apenas ser uma estrela cadente, mas não!
É muito mais, é única, é especial!
Dias dormem e acordam com essa Estrela la do alto iluminando e cuidando deste céu conquistado por ela.
Pensamentos a mais de meia hora daqui, mas estão enfeitiçados por tamanho carisma. Atenção é um ato muito importante.
Agora só me resta esperar para abraçar esse abraço com tudo o que ha de melhor.

(Sabrina Receputi)

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Assistindo tudo...




Amores que vem e que vão é um decorrer de um coração que carrega consigo a esperança de não existir o partir de um grande amor depois de achado.
A vida por ser uma criança que permite surpresas, faz dos corações um aeroporto onde as paixões aterrissam e decolam. Nessa pista só permanece o avião que tem a liberdade de sobrevoar imensidões com o foco do querer estar perto.
Com carinho, a sintonia é perfeita, mesmo que seja capitada por um radinho velho e a pilha. Do futuro nada se sabe e a única intenção é ser sincero.
Correr, fugir, trancar a porta, fechar as janelas sem deixar ao menos uma fresta para que um novo ar invada é uma grande besteira.
Rostos vêm e vão, mas de cada um, um aprendizado, uma descoberta.
Deslizar em espinhos é uma forma de nadar em flores depois de muito caminhar.
Passar noites em claro são validas para um sorriso que nasce ao amanhecer com uma grande claridade, feito o sol. Sentir saudades nem é tão ruim assim, faz pensar no que ha de bom. Observar o relógio traz agonia, mas sempre chega a hora! Ter medo é ter insegurança, mas é ter os pés no chão.
Mas, para que ter medo?
Desvendar segredos, criar expectativas estão nos cinco sentidos e ser forte nem é ter nervos de aços e sim ter respeito. Dominar o mal é ter prazer em cuidar do bem. Ter ritmo em sambar sem preconceito no embalo da bateria é tão bonito. Se perder, se encontrar, partindo ou não está no ciclo de cada manhã. Filmar, fotografar a realidade é ser inteligente na hora seguir.

Deixarei a minha dica: estamos no país do futebol, estamos no país do carnaval, estamos no ritmo da observação.

Que tal continuar percebendo "tudo e todos" sambando essa energia boa e não deixar o que ha de ruim entrar na passarela? Eu estou na pista, mas também estou na arquibancada assistindo tudo.


(Sabrina Receputi)

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Olhares...





Um inesperado faz surgir uma saudade flagrada no meio da noite por um par de olhos.
Um olhar tem um significado muito importante quando se trata de palavras em silêncio onde só os olhos entendem essas palavras.
Ser profundo é desvendar o que talvez até pudesse ser dito, mas cadê as palavras?
Elas somem e só restam os olhares sinceros mesmo sendo tão desconhecidos um para o outro.
Surge assim a vontade de fazer uma canção dizendo tudo o que de fato quer dizer e gravar em um disco voador, lançando assim no espaço sideral dos meus pensamentos onde a estrada para encontrar não é tão distante.
Melodias se tornam caminhos para chegar até onde os pensamentos estão indo.
Bocas com um intuito de um querer onde só elas se entenderão e se encontrarão em um passe de mágica ou de desejo.
A cada dia é de se esperar para estar perto logo e rever esses olhos que sabem dizer muita coisa.
Nunca se sabe até onde vai ou até onde irá, mas o bom é isso, é esse lance da vontade e do querer.
Hoje em dia quando se trata de algo especial se trata de algo raro.
Para que ignorar um momento especial, para que pensar em fugir?
Pensamentos buscam

A distancia não tem culpa dos corpos separados.

Mas nem sempre uma distancia significa distancia... e faz parte querer muito saber até onde irá tudo isso.


(Sabrina Receputi)