quarta-feira, 14 de julho de 2010

A Bailarina



Nas postas dos pés a bailarina exala todo o seu charme com o seu encanto exuberante.
Charme que reflete no sorriso de cada um que assiste e aplaude de pé esse momento.
É tão belo esse charme que afasta o mau com apenas uma dança singela, delicada e atraente.
Feito uma roda gigante ela gira sem parar e assim adquire confiança e perfeição.
Felicidade enorme em ver essa moça rodopiando como se estivesse em sua caixinha musical, onde os meus olhos vibram ao vê-la passar por mim.
Gestos doces, movimentos marcantes e eu consigo ver em câmera lenta cada detalhe e traços.
Com os olhos rasos d’água eu confesso que tudo se transforma em emoção por vê-la deslizando com seus pequenos pés suaves.
Sentir cada giro é sentir o tempo passando e que as coisas por nós passam.
Uma imagem bem desenhada faz dessa bailarina a mais linda!
Quem nunca quis ser uma bailarina assim?
Nunca é tarde para conquistar o mundo e dançar nas pontas dos pés almejando cada passo, cada sonho, cada gesto concedido.


(Sabrina Receputi)

terça-feira, 13 de julho de 2010

Saudades...



Como seria decifrar uma saudade tão presente?
Saudade que vem para tentar abafar uma falta, saudade que surge para se lembrar do bom, saudade para lhe ofertar e tentar enganar toda essa tensão por querer ver logo, saudade para fortalecer uma união, saudade que abala o coração partindo assim para uma saudade ainda maior ou meio dolorosa.
Qual é a da saudade?
As horas passam, uma contagem regressiva atormenta para chegar logo à hora.
Momentos de ternuras são jogados na cama e o ar que se respira tem cheiro de alecrim.
A água doce adoça o rio que se passa unindo esses dois corpos, seguindo o caminho da paixão.
Sentir todo esse mistério atenta, agrada ainda mais e aquece esse sentimento leve e crível.
Paixão que estando "frente a frente" faz o diferencial de uma dança caliente.
Nesse instante, cadê a saudade?
Olhar fundo e profundo esses olhos despertam palavras e mais palavras sem precisar de fato falar alguma coisa.
Bons pensamentos tomam conta do espaço e deixa essa saudade para depois.
Basta olhar mesmo para perceber tudo o que está acontecendo nesse inverno.
Depois vem mais uma vez essa tal de saudade fazer moradia e parte para a contagem mais uma vez só para ter perto essa estrela.
É um querer tão grande que às vezes assusta e aguça a curiosidade por algumas respostas de perguntas secretas.
Ai, que encanto!
Entender às vezes nem é necessário, basta se entregar de corpo e alma.
Sonhar com o café na cama, com a casinha de sapé e um lindo ninho de amor é algo que faz companhia dos pensamentos diários.
Corações aquecidos despertam batidas que só os dois soletram, “entende”?
O jeito é tentar distrair a saudade com uma xícara de café e esperar por esse abraço que aquece mais que um moletom em pleno frio.


(Sabrina Receputi)

segunda-feira, 12 de julho de 2010

"Lei" ...




Olhando nos olhos de cada um que se passa por mim, eu me pergunto:
- “De onde será que veio? O que você faz e o que pretende da vida?”
É muito fácil olhar cada uma dessas pessoas e pensar que todas são da paz e que a maldade espalhada por ai é apenas um desvio da natureza humana.
A cada dia eu continuo a observar todos os olhos que se passam por mim e sinto um amargo na boca acompanhado de uma vontade enorme de gritar!
O que mais me deixa intrigada é o poder das leis que parecem não existir. O dinheiro é o poder, afinal anda ganhando da "lei".
É farda passeando para La e para Ca com um ar de superioridade que ate chega a parecer agir de acordo com as normas corretas, mas quais seriam essas normas?
São políticos prometendo as próprias calcas por um voto e nada fazem a não ser tirarem as mascaras de bonzinhos e serem o que são de fato, deixando os bolsos cheios de putaria.
São jogadores de futebol fazendo orgias em seus patrimônios riquíssimos, desossando vidas como se o dinheiro fosse mesmo sufocar esse absurdo nesse momento! É... A carne humana deve ser uma carne fina, chique e cara. Uns alimentam até os cães assim! Ta, a “lei” pode até a vir funcionar para mostrar que nem tudo está perdido, mas até quando?
Me da vergonha ligar a TV e assistir o poder em ação, mas mais uma vez não é da "lei" que eu me refiro e sim de traficantes e ladrões!
Que delicia viver nesse mundão repleto de maus educados e marginais.
Ah, para que se preocupar né? Afinal, nem existem criancinhas nascendo para viver de cara o errado e aprender o prazer de sacanear até sangrar.
Nem tem fome e sede aqueles que realmente precisam!
E os que ralam o dia todo para ganhar uma mixaria? Esses devem ser os que não valem nada mesmo, certo?
Eu devo estar vivendo em um País sem noção ou eu sou a sem noção por acreditar que os bons são os humildes.
Os pilantras sim são os caras, agora estou certa? Hum... E ái de quem se atrever a contrariar essa “lei” suja, num é mesmo?
Que vergonha, BRASIL!

(Sabrina Receputi)