quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Dias, semanas e anos...




Ao sair pelas ruas, cortando avenidas e virando esquinas, surge um pensamento bom. Observar que "hoje" é segunda-feira é sinal da existência de um inicio, sem ter que pensar em um meio ou fim, afinal esta tudo só começando e pronto para ser vivido.
Sentir que a terça-feira, pode ser melhor que o "hoje" que na verdade já se tornou “ontem”, então para que reviver o que já passou?
Só vale lembrar e sentir que uma rotina não esta com nada e faz muito bem inventar sempre um novo amor, uma nova paixão, um sorriso de banda quem sabe, tanto faz... Mostrar o diferencial de saber seguir é ser guiado por si mesmo. Quarta-feira chega com os pés fincados no chão, é dia de colocar na balança tudo o que aconteceu ate aqui. Sinal de amadurecimento consigo mesmo, fruto do tempo.
Em um piscar de olhos surge a nossa quinta-feira repleta de surpresas para o que esta por vir ainda mais. Dia de contagem regressiva para algo que está por vir e a gente nunca sabe.
Agora sim, a melhor de todas as rosas se abriu, chegou à querida sexta-feira.
Juro que a vontade é gigante de convidar os amigos para um café ou para uma cerveja. Afinal, nunca se devem esquecer os amigos, num é mesmo?
Coração bate forte, doido para entrar no ritmo da madrugada adentro e sonhar a vontade.
O cotidiano é essencial para quem sabe agir de acordo com cada dia que se acorda e se dorme.
Final de semana se resume em paz! Em festa com o intimo da gente.
Imagine você vivendo e sentindo cada dia do ano que se vai, feito uma folha de um caderno que se vira apos a meia noite.
Dias de chuvas, dias de sol acompanham a semana de um por um e não existe um inicio certo para que se tenha um final “errado”.
Tudo acontece com uma lógica. O trajeto é longo e com paciência tudo se encaixa a sua maneira, basta observar e ter calma.
Dizem que tudo se cria, se copia, mas nada disso faz sentido.
Só tem sentido caminhar com as próprias pernas e ter a capacidade de criar e inventar para que te observem dias, semanas e anos...

(Sabrina Receputi)

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Nada como ceder o braço e dizer: - Vamos?




Em uma linda magia, surge uma fada onde uma mágica é concedida com sua varinha de condão e acerta uma esperança a brilhar no infinito de uma boca que escondia um belo sorriso. Não importa se um dia um cometa desgovernado se perdeu, o melhor é a chegada de uma nova estrela a tomar conta de uma noite que até então se encontrava preta. Algo tão leve, sem pressa faz do redor ser mais real nesse misto de prazer e fantasias.
Viver apenas com palavras soltas pelo ar não são quase nada ou realmente não são nada!
Sem querer, sempre se começa algo interessante seguindo a intuição de um mestre, conhecido como “Time”. Ser feliz é não ter medo de se envolver e nem andar no que não existe, pois pode cair no primeiro passo!
Um cristal é lindo de se ter, de cuidar, de apreciar. A partir do momento em que ele se trinca se quebra, já era, nem da! Magoas surgem, sonhos se apagam e não ha cola que junte tudo isso que um dia se torna resto.
Por isso, dar valor a cada gesto e momento é o poder de uma vida bem lembrada em um amanhã. Sem remoer passados, sem construir intrigas irrelevantes.
Estar disposto a assumir o que se quer é primordial.
Se esconder atrás do medo formando uma mascara é o pior de um caráter.

Nada como ceder o braço e dizer: - Vamos?

Fazer acontecer um sentimento sadio é a alma do gostar.

Deixar que as flores invadissem o jardim é tão bonito.

Ser um beija flor de uma única rosa é o ato mais especial de um ser humano.

Sem pressa viva e com pressa nunca abra um espaço para o que não existe!

É lindo sentir de perto as flores se amando no meio de tantas cores e espinhos, o que fazem parte da vida.


(Sabrina Receputi)

Juntos!




É muito bom sentir um arrepio ao se entregar para um oceano profundamente.
Fantasiar borbulhas de amor e conquistar uma linda sereia que disfarça toda a sua sensualidade com sua calda a nadar ate o seu porto seguro se torna um desejo.
Peixes cantarolam e batucam nas casquinhas dos siris, só para almejar toda essa vontade. O silencio marítimo nem é quieto, afinal é de se ouvir todo esse balanço e as ondas dançam os passinhos do vem e vai sorrindo e festejando cada flash.
Viajar nesse mar é como percorrer na melhor parte do corpo da natureza e trás consigo uma satisfação recíproca. Nada de tristezas, nada de nadar para morrer na areia. Nada de nadar sem rumo. Tudo tem um sentido, tem uma calmaria onde a maresia aflora e abençoa essas aventuras secretas. Algas se sacodem de felicidade por assistir de camarote essa benção. Nunca se sabe de nada que tenha ligação com o amanha, mas o que importa? Basta nadar e se aprofundar cada vez mais.
Ate as conchinhas brincam de se esconderem nas pedras, só para causarem aflição, mas nem conseguem, pois é observado o tempo todo. Para que se preocupar em se dar sem receber? O legal é saber dividir, somar com verdades e muita cautela.
O melhor de tudo é ter a certeza que existe fogo mesmo no fundo desse mar, ardente e bem apaixonante. Em um porto seguro, existe uma sereia que seguiu a nadar e agora espera por seu anjo e sem forçar nada, uma ansiedade vem surgindo.
Agora sim essa sereia esta a cantar para esse anjo que acaba de chegar.
Juntos, desejam o amanha juntos!

(Sabrina Receputi)

domingo, 1 de agosto de 2010

Tudo tem um por que e nem tem por que discutir...




Caminhar a pé pela chuva é sentir a liberdade de seguir e estar onde o extinto pedir sem nenhuma sensação de radar.
Colocar no porta retrato momentos que passam um humor feliz de e aceitar que nada se perde e apenas passa, sendo esse o segredo da vida é o que faz do amanhã muito mais misterioso.
Em uma estrela se pode fantasiar o brilho que quiser, desde que ela realmente ela esteja ali a cintilar a sua vontade de estar e brilhar junto com ela.
Uma saudade faz tudo ser lembrado, mas o bom é que tem a vantagem de não viver de saudades e sim do que esta acontecendo agora.
Observe o relógio nesse momento, muita coisa está acontecendo e só se pode dizer que os dias estão passando muito rápidos.
Feito uma roleta coletiva, as pessoas aparecem e se vão a cada vida existente na Terra.
O bom é que nesse misto de alegria e tristezas se tem em troca a experiência do melhor.
Rever quem tiver que rever nem apresenta dor e sim mais uma vez uma lembrança do que um dia foi e agora já nem é e muito menos será.
Ai, essa vida é uma caixa de surpresas onde tudo se dança, basta deitar e rolar nessa musica que toca com um ritmo de vulcão onde tudo se transborda e se resume em paz lá no final.
Em um copo de cerveja procuram a distração, mas é em outros braços que se encontra uma nova paixão.
A felicidade não tem fim, não se deve focar na frase que diz que “nada dura para sempre” e sim que “tudo se segue com algum ponto final no infinito imaginário”.
Nos caminhos de um querer e de uma paixão um sorriso sai tão devagar que os olhos dão gargalhados em um segundo.

Você consegue ouvir?

Tudo tem um por que e nem tem por que discutir...


(Sabrina Receputi)