terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Sinta o sol...



Em noite de Lua cheia, um calor escorre pelo corpo, onde a vontade de amar aguça o desejo.


Sentir as curvas de Saturno faz o pensamento viajar em uma emoção muito além do horizonte, só para chegar nesses lábios suculentos, feito uma cereja carnuda.

Nas nuvens que enfeitam esse paraíso, desenhos homenageiam a paz que embriaga e faz da respiração mais tranqüila e profunda.

A sensibilidade atinge a distancia e, navega por ondas que exploram o sal que sai do sol até o amanhecer. Sinta o sol!

Olhar fixamente nos olhos e dizer que “Ama”, deixa as pernas flutuando feito uma pluma ao vento e, faz de um simples barquinho de papel, o maior do mundo!

Pássaros passeiam por esse céu azul cantarolando músicas que cantam todo esse amor. Esses versos dançam e constroem estrofes que afirmam todo esse zelo.

Um simples gesto faz do momento brilhante, ainda mais quando se usa o perfume que você adora.

Não há segredos quando tudo é vivido com presença!

Cada sorriso dado cala qualquer palavra dita.

Um amor assim é raro e muito mais que especial.

Um coração sozinho não vive as sensações de um carinho verdadeiro.

Onde houver sol, siga em frente... Existira a hora certa para sorrir e em troca, encontrar um sorriso repleto de estrelas.



(Sabrina Receputi)

domingo, 19 de dezembro de 2010

O Momento.



O mundo parece parar!


As pernas não sentem vontade de correr.

Os olhos brilham nessa intensidade e, faz com que as flores coloram esse jardim.

Pétalas aveludadas se misturam nesse ninho que chamamos de amor.

As mãos se perdem e se acham, no meio de tanta ternura que por si só, existe!

Bocas enlouquecem o beijo que tem.

Pêlos arrepiados agitam o tempo que transborda com o seu calor, o suor que pelo corpo passeia.

Delírios e desejos explodem em chamas e faz desse momento, “o momento”!

Essa sensação faz do agora, a vontade de se entregar e se tornar refém.

Surge uma liberdade que revela o gosto desse mel.

Um sentimento assim dá asas ao que surge cada vez mais forte a cada dia, sendo todo esse amor, todo esse desvelo.

Uma inspiração vem veloz, por conta dessa respiração que se torna ofegante quando esses corpos se encostam.

Enérgico!

Basta uma palavra de carinho...

Com meiguice tudo se torna doce.



(Sabrina Receputi)

O que sente quem...




O que sente quem sente amor?

O que sente quem sente horror?

O que sente quem sente certeza?

O que sente quem sente dúvida?

O que sente quem sente tristeza?

O que sente quem sente alegria?

O que sente quem sente dor?

O que sente quem sente a cura?

O que sente quem sente desejo?

O que sente quem sente desprezo?

O que sente quem sente um beijo?

O que sente quem sente o sexo?

O que sente quem sente nervoso?

O que sente quem sente medo?

O que sente quem sente paz?

O que sente quem sente maldade?

O que sente quem sente saudade?

O que sente quem sente ternura?

O que sente quem sente o vento?

O que sente quem sente loucura?

O que sente quem sente a sorte?

O que sente quem sente a morte?

O que sente quem sente frio?

O que sente quem sente calor?

O que sente quem sente angustia?

O que sente quem sente...

O que sente?

Mas... O que sente quem pensa que tudo é igual quando se trata de sentimentos?

Sempre haverá uma partícula diferenciando tudo de tudo!

Então me diz:

- O que sente quem se sente?



(Sabrina Receputi)