terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Incandescente


O beijo beija o sexo que me invade


A queima roupa, eu tiro a roupa em um beijo só

Em seus gemidos, eu me atiro incandescente

Em seu arrepio, eu me denuncio e descubro o seu segredo mais ardente e transparente

Não ha céu sem estrela, não ha sol sem calor

Ta na cara, ta na "tara" de te ver passar

Ta no rosto, ta no rastro do embalo de te ver chegar

 
(Sabrina Receputi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário