quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Pense, penso. Sinta, sinto!

Na viagem de um sonho, os corpos flutuam para onde o desejo mandar.
Seguindo assim, a linha de um infinito próximo, de encontro com os olhos que não param de olhar a menina daqueles olhos.
Às vezes, faz bem perceber que da mesma maneira que o tempo voa, ele para e trás lembranças do tempo em que tudo era mais real, sincero e não apenas esse sonho.
Voar feito um pássaro de encontro com o querer é simplesmente dizer o que quer para si mesmo, assumindo qualquer risco, mesmo com os olhos vidrados em um silêncio.
Pra que delirar em nuvens de mel sem adorá-las de verdade?
Cada um sabe o gosto amargo que tem a dor de um amor mal resolvido, mas não é errado tomar a decisão de seguir, por justamente olhar ao redor e sentir esse mundo girar.
A cada dia nascem novas flores, novos amores.
Do amanhã ninguém se sabe e isso é a coisa mais certa que temos em comum um com o outro, mas o hoje se torna claro para aqueles que estão sentindo o que é sorrir feliz, cuidar com carinho.
É incerto demais olhar nos olhos, sabendo que a qualquer momento o céu pode perder uma estrela, que brilha radiante.
Nossos olhos se tornam cachoeiras, mas isso vem de quem tem esse lado sereno em dizer “eu te amo” sem receio, simplesmente com um coração que bate em um ritmo contagiante.
Muitos se perdem, perdem uns aos outros, se tornam pó, fotografias, lembranças de um passado sim, mas isso não é novidade pra ninguém.
Dizem que a vida é uma escola, e é mesmo. Cada coisa que presenciamos se torna um aprendizado, onde temos o dom de nos transformarmos sábios no que chamamos de “amor”.
Lutar por um sentimento é valido quando se tem um retorno recíproco, mas quando o resultado é o contrário do que pensamos, vale muito mais a pena, por percebermos que não iria valer à pena um dia. Confuso não? Pois é, assim transformamos o que mais uma vez, chamamos de “amor”.
Mas, o que é o amor?
Cada um diz uma coisa e eu, prefiro acreditar que o amor é muito mais que isso, e sim uma vontade de dizer o que sente sem pressa, sem pressão.
É pensar em agradar, com um simples sorrido desenhado em um pedaço de papel.
É cuidar com carinho, sem pensar em ser infiel consigo mesmo. Mas, vai entender mais uma vez o que é o amor.
A cada dia se descobre uma maneira de estar, de seguir...
Mas o importante é ter uma cumplicidade, por mais que isso esteja se tornando um pouco fora de moda.
Valorizar alguém e ser valorizado dentro de uma relação faz bem, sem ter que ser unilateral em um simples pensar, sem ter que forçar a barra em tentar ser o que não é. Só, que não se pode esquecer que se valorizar éo que há de melhor, independente de qualquer coisa.
Vale à pena eliminar o que não é pra ser, por que se fosse pra ser, já era para estar sendo e sim nunca ter deixado de ser um dia.
O amor é bem mais que seduzir, mas a vida também é repleta de enganos.
Pense, penso. Sinta, sinto!



(SR.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário