sábado, 26 de fevereiro de 2011

... e a respiração volta a respirar suave.

Em cada virada da lua, pensamentos procuram em um poema, palavras que decifram o que pode ser de mais lindo e puro nessa vida. Talvez todo esse “amor”! É, isso mesmo.

Nota-se que entre duas pessoas que se encontram em um simples olhar, uma beleza é admirável e admirada.
Um beijo proclama em alto tom o que é pra fazer. Ouviu o estalo?
Viver essa emoção sem se preocupar com os pingos d’águas que pingam quando o sol resolve se esconder seria mesmo muito bom ou, pode ser? Incógnitas nos perseguem alguém já reparou? Olha a interrogação, o que significa?
Hum... Interessante! Ela contém uma grande curva de tempo para pensar.
Muitas coisas contemplam um sentimento e, o que mais faz valer à pena é a vontade de amar. Mas, quando há exatamente essa vontade de amar e ser amado? Faz sorrir em um segundo.
Tantos se amam, tantos cometem o desamor.
O que seria ser sincero e, ordenar por uma cumplicidade onde as pernas se tremem todas por vontade de estar perto? Onde tudo começa? Onde tudo se acerta? Onde tudo segue? Mas, como é? Ah sim, vamos passear nessa curva mais uma vez?
Nas areias da vida, notam-se os passos dados em dias claros ou até mesmo no escuro. Em muitos passos que são dados pelas ruas, apenas se vão aqueles pés sem destino, mas com um foco de ser feliz e de ter a sorte de um amor tranqüilo dias após dias.
O tempo se passa veloz ou até mesmo, lento... Muito lento!
Veja os ponteiros do relógio, sinta esse coração. Qual deles está pontual?
Noite e dia, os pensamentos permanecem focados no “elo” que vai se tornando concreto. Um desejo enorme de gritar que há amor faz moradia em um “centro motor” acanhado, ele é tímido. Olha como ele esta vermelho!
Coragem nos falta quando o mundo parece explodir em chamas enigmáticas, mas aos poucos, tudo vai criando asas, um sentido, um dom, um por que. Claro que é amor!
Há sempre uma lógica em tudo e, vale espiar a luz que reflete naqueles olhos que olham profundamente os olhos que os olham, se torna difícil de explicar, mas é tão bom!
Sabe quando vem aquela sensação inexplicável de um querer sem igual? Pois é... Ai que saudade! Venha logo para os braços que abraçam os seus, os meus.
Não é fácil o que parece ser. Ou é difícil o que parece não ser?
Em cada gota de estímulo, o “ego” se sente feliz e capaz, se desabrocha em flor. Flor que por si só, pode nem vir a durar mais que sete dias, mas que contém toda delicadeza e simplicidade de uma “Bela Flor” que conquistou aquela menininha que passeava nos desertos do famoso Saara. Olha como ela é linda! Que perfume bom. Que linda Flor!
Não tem por que se esconder do que pode estar em sua frente, sem segredo e perturbação.
Vale muito mais se abrir, se identificar. Tudo se acerta nesse vento todo.
Tudo é tão bom quando as energias se trocam e vivem cada segundo de um mar profundo de desejos. Mergulhar nesse mar é o que há!
Pensar é fazer do esquecimento, incapaz de esquecer o que de fato se quer.
O tempo passa, o tempo para... O tempo corre e corrige o que de fato nem parou, pois a vida segue e seguiu no twitter todo esse afeto, zelo. Sairá no jornal amanhã todo esse amor em lua de mel, leia e sinta. Letrinhas saltitaram entre os lençóis.
A gente sempre precisa da luz do sol. Olha que calor!
Com afagos se tornam evidentes as chamas de um fogo que chamam por nós! A brasa esta presente. Seja bem vinda.
Ouça... Eu estou ouvindo! Lá vem o trem chegando em mais uma estação do ano, talvez seja o Outono que está a caminho. Partiremos para o inverno depois? Já dá para perceber um ar frio lá de longe.
Um casaco desde já, ajudaria?
Nada como esse abraço ao longo do seu abraço.
Espere! Olhe aquele coração. Tão apertado!
Estão ajudando... Calma! Agora assim, desabotoou o cinto que o feria.

E a respiração volta a respirar suave...





(Sabrina Receputi)