domingo, 25 de março de 2012

Desconhecido...

Descarto de mim, qualquer mágoa
Descarto o fútil do incerto
Descartando-me de mim mesma a qualquer hora.
Fecho os olhos ou apago as luzes?
Existe um show que já terminou
Aliás, ele nem nunca se quer foi ao palco.
O agora, permanecera em silêncio absoluto
Em felicidade constante
Em lembranças eternas
Em conflitos com o mundo que vem girando rapido demais
Peço para que ele gire um pouco mais devagar
Sinto tudo tão do avesso
Que às vezes não sei passar o que se passa por mim
E me amarroto assim, junto com o hoje.
Que roupa devo usar para essa ocasião?
Não esta havendo um tempo para esperar
Os pensamentos estão em curto
E as cenas estão perturbando o meu eu
Coisas tolas, despejadas, coisas minhas
Que nem sei o nome.
Apertei os sintos para uma viagem no tempo em um instante, já!
Para outro planeta estou me mudando
Longe de tantas lamúrias
Distante de tamanhas luxúrias
Próxima do impossível
Perto das estrelas.
Canto com o vento
Que assopra a minha vida aos meus ouvidos
Me apontando para o futuro
Apaixonando-me pelo o que não existe
Dormindo com a lua
Amanhecendo com o sol
Que me acorda todos os dias
Ao som de "NE ME QUITTE PAS".
Ando sem tempo pra perder
Sem tempo pro achísmo
Sem nada que não seja somente meu
Em um planeta "desconhecido"
Vivendo fantasias de um filme
A espera de um final feliz!


SR.


NE ME QUITTE PAS -> (http://letras.terra.com.br/maria-gadu/1495934/traducao.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário