terça-feira, 26 de junho de 2012

Uma vida toda

Quem não erra
Não sabe o que é acertar.
Quem não sonha
Não sabe o que é se realizar.
Quem não acredita
Não conhece a confiança,
Ou se afoga em um mar negro.
Quem nunca sofreu o amor
Não conhece o que amar,
Não conhece uma dor
Muito menos o que é viver!
Existem mistérios,
Misérias,
Migalhas,
De um sentimento
Que um dia surgiu,
Cresceu
E, morreu!
O ciclo é confuso,
Por isso existe a calma.
Hoje em dia,
Se tem saudades do ontem,
Se preocupa com o hoje.
Mas, o amanhã é importante,
Mesmo que não pareça,
Por ser tão misterioso.
Nunca é tarde pra nada,
Muito menos pro amor.
Às vezes,
Vale à pena crer
Em um conto de fadas
Durante, talvez;
Uma vida toda.





(Sabrina Receputi)








Enfim.

Da noite pro dia,
Se tornou a musa
Da minha poesia.
Do dia pra noite,
Eu me apaixonei;
Enfim.

(Sabrina Receputi)

E, um pouco mais.

Era uma vez,
Um olhar curioso.
O tempo foi passando
E uma vontade, foi maior!
Tudo o que era dito,
Tudo o que foi evitado,
Aconteceu!
Um beijo beijou uma Flor,
E desde então;
Surgiram pétalas de paz e amor.
Agora já se sabe
Que valeu a pena esperar!
Tem sido bom sonhar
Tem sido bom gostar
Tem sido gostoso estar...
Esses olhos,
Andam dizendo coisas
Que as vozes as vezes,
Não precisam dizer.
Corpos esses,
Que ao se encostarem
Se conectam com tudo
E, um pouco mais...



(Sabrina Receputi)


Te quero

De frente para um espelho
O seu reflexo me invade
Em silêncio eu te chamo
E a sua imagem me arde.
Por mais que eu evite,
Por mais que eu tente,
Uma saudade tropeça em mim.
O seu gosto me prende
Suas digitais me tatuam,
E eu, invento versos e poesias
Só pra te encantar.
Uma vontade enorme,
Preenche o peito meu.
Não dá pra não pensar
Não dá pra não querer
Não dá pra disfarçar,
Que você esta em mim.
Suas falas estão soltas,
Passeando e dançando
Bem ao meu ouvido
De um jeito;
Que só você sabe.
Observando você
Eu me vejo em ti,
E foi aí que eu percebi
O quanto eu te quero.



(Sabrina Receputi)


Abrindo a mente

Existem casos
Que o acaso
Esta marcado
Em minha agenda.
Existem traços
Que estão traçados
Bem rabiscados
Em meu destino.
Eu brindo a noite
Eu canto o dia
Eu vivo o hoje
Sem agonia.
Sorrindo sempre
De vento em poupa
Abrindo a mente
Que vida louca.



(Sabrina Receputi)