sexta-feira, 5 de abril de 2013

Reconhecimento pessoal


Em um belo dia, me encontrei no meio de uma competição onde eu poderia ou não ter tido a sorte de fazer parte desde mundo. E o que aconteceu? Eu nasci.
Depois de alguns anos, percebi que eu havia abandonado quem eu tinha de mais precioso na vida, e assim fui me tornando o que eu sei que não sou. Sendo um ser “durão” e frio. O que seria de mim sem Deus?
Eu voltei.
Hoje, poderei contar que os dias que se passaram por mim, me trouxeram diversos tipos de acontecimentos, onde eu vivi momentos felizes e tristes, onde eu aprendi e apanhei de algum jeito.
Depois de um tempo, comecei a me sentir baixo astral, desprotegida, fraca, sem forças pra querer seguir, mesmo que por um instante eu sorrisse, enganando o meu Eu. Com isso, me senti só e fui me escondendo de mim mesma.
Problemas foram surgindo, soluções foram sumindo, até que desesperadamente peguei o telefone e fiz uma ligação, chorando... Consegui me abrir. Contei o que eu estava sentindo e como eu estava me sentindo naquele momento. Bateu uma angústia, uma nostalgia, que me senti em um anonimato profundo, no meio de um deserto pavoroso.
Deixei-me levar e me coloquei em guerra, só que sem armas para lutar!
Esta pessoa que liguei me estendeu a mão e disse: - Eu vou te ajudar.
Fui com o coração repleto de esperanças e repleto de culpas por eu não ter sabido lidar com algumas situações.
Tive a certeza que abandonei o meu Pai, o meu Deus, porque ele me acolheu e me aceitou de volta. Eu senti a paz e voltei pra casa com uma certeza, sendo: Eu quero, Eu posso!
Ouvi tantas palavras positivas, observações, puxões de orelhas que eu “hoje” amanheci pedindo ao Senhor, perdão.
“Perdoa-me pelas minhas falhas, pelos meus pecados, pelos erros que cometi.”
Afinal, errar é humano e aprender é mais humano ainda.
Por um instante eu me esqueci de mim mesma e valorizei de maneira incorreta alguns assuntos e até mesmo, algumas pessoas.
Hoje eu me senti melhor que ontem e quero buscar cada vez este melhor, esta paz, para que eu leve a todos que eu amo o que estou sentindo e vivendo.
Deus, o que é seu é meu!
Eu não havia dado conta disso.
O que seria de mim sem a tua luz?
O que seria de mim sem a tua benção?
Estou aprendendo tantas coisas, agradeço pela paciência...
Obrigada meu Deus.
Não quero te abandonar nunca mais.
O poder da transformação é divino e eu me amo.
Quem tem Deus no coração, tem tudo!

(Dedico este texto a você Luciana França. Obrigada!)

Sabrina Receputi

Nenhum comentário:

Postar um comentário