domingo, 17 de setembro de 2017

Paciência

Estamos em um momento tão diferente, distante. Até as estações estão sem clima e o tempo, ah esse eu já não sei faz tempo. 
Uma saudade aperta o peito, dói. 
Vontade de um abraço e refazer esse laço, mas parece que o laço se perdeu. 
Será que o tempo trará esse laço de volta?
Sabemos o peso de uma palavra, de uma mágoa... e esse tempo; cura mesmo?
Sabe quando você começa a observar todos ao redor, aqueles desde quando você era criança e se depara com um ninho de cobras?
Assuntos indesejados, falsos amigos, pessoas e mais pessoas sem amor próprio, que se depararam com um alguém de opinião, corajoso e que aos poucos, decepa esses assuntos bobos, essas atitudes levianas, e segue em direção da paz e o resto que se dane? Esse alguém sou Eu. "Perde quem me perde."
Muitos culpam os outros pelos próprios erros, pelo menos já nasci assistindo essas novelas quase que mexicanas. 
O vento assopra forte, muda as coisas de lugar e Eu continuo de pe, mesmo que com alguns arranhões, afinal, o vendo trouxe um dilúvio. 
Acredito que o tempo irá nos trazer a calma e muita sabedoria. 
Não sabemos do amanhã e nem quero saber, nem me interesso pelo incerto. O hoje tem vida, tem cor e cheiro e se chama Paciência. 
Não posso passar a carroça na frente dos bois como dizem por aí, apenas passo com o coração ferido, triste e em busca de uma única coisa, inteligência emocional, espiritual, pois aqui mora uma esperança, mora um grito carregando uma bandeira branca. 
Graças a Deus não temos o dom de lermos as mentes perigosas das pessoas, mas tenho muita proteção comigo, porque quem me carrega e me cobre com o seu brilho se chama Iemanjá. E essa cuida de mim, linda mãe do mar. 
A Deus, peço leveza e serenidade. 
Nos deixe intactos da maldade das pessoas. 

O segredo é transparência para se ter paciência. E Isso o tempo nos dá, porque ele mostra. 


Sabrina Sena

Nenhum comentário:

Postar um comentário