sábado, 4 de novembro de 2017

Eu serei mar, serei vento, mas não serei fraca.

Um dia, eu só rio
Outro dia, sou rio.
Choro, quase me afogando em lágrimas.
Me basta abrir as janelas  do meu apartamento,
Abro também aquele sorrido e sinto a brisa que vem.
As vezes venta forte, o céu se escurece
E volto a fechar as janelas e me fecho.
Está chovendo neste momento,
Estou a beira da loucura!
Não aceito certas nuvens, mas buscarei paciência.
Não posso perder as esperanças,
Não posso perder o meu amor por mim.
Eu me caio, me molho, mas me levanto!
Não posso pensar que estou sem as armas de “Jorge”,
Estou com Deus e Nossa Senhora em nossa casa.
Mas é pra já que peço para que o mar me invada,
Vivendo um dia de cada vez com a força de “Iemanjá”.
Estou fraca, estou forte...
Estou em alerta, terei fé.
Eu irei enfrentar essa tempestade e terei de volta a minha paz.
Olho para o céu... cadê o sol?
Calma! Ele vai brilhar e não irá te deixar.
A ânsia de viver um dia de cada vez, apavora...
Mas irei vencer tudo isso.
Com calma para que a alma seja leve e forte,
Esse azul do céu irá se misturar com o azul do mar em minha vida,
Para o bem da minha saúde.
Eu serei mar, serei vento, mas não serei fraca.




Sabrina Sena

Nenhum comentário:

Postar um comentário