quinta-feira, 8 de junho de 2017

Cada segundo

Andando devagar, sinto a vida acontecer com calma
Percebo as variações das cores
Vejo o movimento dos carros que se passam por mim
Ouço o barulho das coisas
É como se eu tivesse mais próxima de mim. 
Acelerando, sinto o quanto não vejo nada
Tudo se torna invisível e corrido
Isso nos faz escravos do imperfeito que aparenta confortável. Pare!
Eu quero é andar a pé 
Ouvir o canto dos pássaros 
Dançar no balanço das nuvens 
Admirar o brilho do sol que me arde
Olhar para o nada, sorrir 
Ah! Eu só quero um instante e sem medo

Viver cada segundo.